Saúde

O impacto do uso excessivo das redes sociais na saúde mental

Written by Elevation Web
15 / 100


As redes sociais surgiram tem apenas uma década, mas já se tornaram mais do que plataformas para a troca de informações e interações sociais, mas também como componentes centrais na nossa vida diária. 

Elas redefiniram a maneira como nos conectamos com o mundo ao nosso redor, permitindo a comunicação instantânea e o compartilhamento de nossas experiências com uma audiência global.

Contudo, à medida que sua presença se torna cada vez mais presentes, crescem também as preocupações em torno dos impactos do uso excessivo das redes sociais na saúde mental dos usuários.

Neste artigo falaremos como as redes sociais podem afetar nosso bem-estar psicológico.

Qual é o impacto das mídias sociais na nossa saúde mental?

O impacto das mídias sociais na saúde mental é um tema de crescente interesse e preocupação, dada a sua onipresença na vida moderna. 

As plataformas de redes sociais, embora ofereçam oportunidades significativas para conexão, comunicação e compartilhamento de informações, também apresentam desafios e riscos para o bem-estar psicológico dos usuários, como:

Comparação Social

O fenômeno da comparação social nas mídias sociais é amplificado pela tendência dos usuários de postar apenas os aspectos mais positivos e idealizados de suas vidas, criando uma realidade distorcida que pode parecer inatingível para outros.

Essa exposição constante a vidas “perfeitas” pode levar a sentimentos de inadequação, baixa autoestima e inveja, especialmente em indivíduos vulneráveis ou com predisposição a problemas de saúde mental. 

A comparação social negativa ocorre quando as pessoas avaliam sua própria vida em contraste com as imagens idealizadas vistas online, muitas vezes sem considerar as lutas não compartilhadas por trás dessas postagens.

Ansiedade e Depressão

O vínculo entre o uso excessivo das mídias sociais e o aumento nos níveis de ansiedade e depressão é apoiado por diversos estudos. A constante necessidade de verificar atualizações, responder a mensagens e manter uma presença online pode se tornar uma fonte de estresse crônico. 

A pressão para corresponder ou superar as expectativas criadas pelas representações online de sucesso, felicidade e beleza pode contribuir para sentimentos de insuficiência e desesperança, exacerbando condições de ansiedade e depressão.

Perturbações do Sono

O uso de mídias sociais antes de dormir é particularmente prejudicial à qualidade do sono. A luz azul emitida pelos dispositivos eletrônicos pode suprimir a produção de melatonina, um hormônio crucial para o ciclo natural do sono. 

A estimulação mental provocada pela navegação em mídias sociais pode dificultar o relaxamento necessário para adormecer, contribuindo para padrões de sono irregulares, insônia e, por consequência, maior vulnerabilidade a problemas de saúde mental.

FOMO (Fear of Missing Out)

O FOMO, ou medo de estar perdendo algo, é um estado de ansiedade provocado pela percepção de que outras pessoas podem estar vivenciando experiências mais gratificantes. 

Esse fenômeno é exacerbado pelas mídias sociais, onde a constante exibição de atividades pode levar a uma necessidade compulsiva de estar sempre conectado, temendo perder eventos, notícias ou interações sociais importantes.

O FOMO pode aumentar significativamente o estresse e contribuir para a deterioração da saúde mental.

Cyberbullying

As mídias sociais facilitam o anonimato e a distância social, elementos que podem contribuir para comportamentos agressivos e abusivos, conhecidos como cyberbullying. Essa forma de intimidação online pode ter efeitos devastadores, especialmente em crianças e adolescentes, levando a problemas como ansiedade, depressão, isolamento social e, em casos extremos, a pensamentos suicidas. 

A natureza persistente e onipresente do cyberbullying nas mídias sociais significa que as vítimas podem ter dificuldade em escapar do abuso, tornando essencial a implementação de estratégias de prevenção, apoio de psicóloga comportamental e intervenção.

Dicas para as redes sociais sem prejudicar a saúde mental?

Usar as redes sociais de maneira consciente e que não prejudique a saúde mental exige uma abordagem equilibrada e reflexiva. Aqui estão algumas estratégias e práticas recomendadas para ajudar a garantir que sua experiência nas redes sociais seja saudável:

  • Estabeleça limites de tempo diário para usar as redes sociais
  • Seja seletivo sobre o que você consome. Siga contas que o inspirem, eduquem ou façam você se sentir bem.
  • Use as redes sociais para complementar, não substituir, interações pessoais.
  • Pratique a gratidão pelas experiências e pessoas na sua própria vida
  • Faça pausas regulares das redes sociais, especialmente durante períodos de estresse
  • Procure apoio quando necessário
  • Envolva-se em atividades fora da internet

About the author

Elevation Web

Leave a Comment

1 × 2 =